Drop Shipping

Drop Shipping é o modelo de negócios onde o lojista não tem estoque do produto, ele utiliza o estoque do distribuidor ou fornecedor, e na maioria das vezes a entrega ou envio do produto é feito pelo próprio distribuidor ou fornecedor. 

Na teoria é um negócio muito bonito, pois o lojista não precisa investir em estoque, pode ter uma variedade enorme de produtos, e em alguns casos até um bom markup.

Na prática você acaba concorrendo com centenas de lojas que fazem exatamente a mesma coisa e a margem acaba sendo reduzida pela concorrência. No mais existem dois tipos de drop shipping, o nacional que atua com distribuidores nacionais, e o internacional que normalmente é feito com o sistema shopify + plugin do Ali Express. 

Eu particularmente sou muito contra ao drop shipping internacional. Opinião pessoal e respeito quem pense de forma contrária, mas deixe-me dar as minhas razões. Economicamente é muito prejudicial ao mercado nacional, o lucro vai para fora do país, prejudica o mercado nacional que não produz e não vende nada, afeta o mercado interno de e-commerce que também deixa de vender e é assolado por concorrência desleal que não paga impostos. Também de ponto de vista do consumidor, não existe troca ou garantia (em 99% dos casos para não generalizar).

Normalmente quem monta uma loja de drop shipping internacional como citei acima, é pessoa física, trabalha por conta, abre a loja trabalha no máximo 6 meses, fecha a loja e abre outra com outro nome. Isso por causa das reclamações e trocas. Obviamente se não desse lucro, não fariam isso. Mas o fato é que precisam vender muito, muita quantidade porque o lucro é baixo, e para vender muito, tem que divulgar muito. 

Com certeza você já deve ter visto anúncios no facebook, instagram de produtos muito interessantes, na maioria das vezes supérfluos e de qualidade duvidosa, e que o prazo de entrega é de 30, 45 dias, isso é drop shipping internacional.

O prazo de entrega é um ponto interessante, porque ele define bem o tipo de produtos que você irá vender neste formato. Quem pode esperar 30 a 45 dias para receber um produto? Somente produtos supérfluos, não essenciais e que o cliente não precisa para amanhã. E em consequência deste prazo enorme, acabam ocorrendo muitos charge backs de pagamentos neste formato.

Precificação

Como definir o preço de venda do meu produto? Muitos vão responder dizendo que vamos pelo preço da concorrência. Porém eu digo que este não é o caminho mais adequado, principalmente porque a concorrência pode estar trabalhando com preço muito baixo. Um caso clássico disso é a NetShoes que aplicou uma espécie de dumping, por anos no mercado, justamente para inibir a entrada de novos concorrentes.

      Dumping é a prática de vender ou colocar no mercado produtos com preços inferiores ao do mercado.

O preço de venda de um produto deve ser baseado na soma custos de produção / compra, impostos, custo de operação, embalagem  somados ao lucro desejado pelo vendedor.

Jamais esqueça dos custos de impostos, custo de operação e custos de embalagem.

Normalmente no mercado existem duas possibilidades, varejo e atacado. O varejo possui normalmente margens maiores. No atacado margens menores, porém maior quantidade.

Não é segredo nenhum que quanto maior sua margem, maior é seu lucro. Porém mercados com margens grandes estão cada vez mais raros devido a entrada de muitos concorrentes que acaba por fazer a margem cair.

Dica: leia o livro “A estratégia do oceano azul” que ilustra bem esta situação.

Quando se está entrando no mercado é comum o lojista entrar com uma margem mais baixa para atrair e conquistar novos clientes.

E infelizmente alguns lojistas que não sabem fazer as contas corretamente chegam a trabalhar sem lucro e até no prejuízo e não percebem, porque não levam em consideração custos. Eles simplesmente pegam o valor que compram o produto e adicionam 20% , 30% e revendem o produto.

O problema está que nestes 20%~30% eles precisam deduzir: impostos, embalagem, custos de operação, riscos. Não sendo difícil encontrar casos onde não sobram 3% de lucro líquido, que é muito pouco.

Ao definir a sua margem ou markup do produto leve em consideração todos os custos e uma boa margem de segurança. Não vá só pelo preço de venda dos concorrentes, infelizmente alguns concorrentes não sabem fazer este cálculo (acredite) e acabam vendendo produtos sem nenhuma margem, com prejuízo mesmo e em outros casos os produtos podem ser de origem ilícita.

Cadastro de produtos

Estando tudo organizado e você já tendo a lista dos produtos que irá cadastrar você pode iniciar o cadastro.

Algumas plataformas permitem a importação de produtos via arquivo XML ou importação via planilha XLS (excel). Todas as plataformas permitem o cadastramento manual dos produtos.

Embora possa parecer muito atrativo a importação de produtos em lote, que com certeza é muito rápido, ainda será necessário passar de produto a produto para cadastrar os itens que as importações não contemplam.

Tenha em mãos a lista de produtos que você irá cadastrar já com as categorias e subcategorias e nesta lista deverá conter, nome do produto, estoque, preço, peso bruto e medidas. Sim, peso e medidas são necessárias para evitar que você tenha que voltar e alimentar depois, peso e medidas são essenciais para o cálculo de frete.

Importante: alguns produtos têm mais de uma versão, como calçados, vestuário, que possuem tamanhos e cores diferentes. Se for o seu caso, é necessário alimentar antes os atributos dos produtos, para no cadastro já puder selecionar os mesmos. O mesmo princípio é válido para fabricantes.

Cuidados com Imagens

Muitos lojistas pensam que basta tirar uma foto com celular ou uma câmera profissional e pronto, só pegar o arquivo e subir na loja. É um engano até certo ponto comum. O que ocorre é que o mais simplório celular hoje tira foto de 4 MP (mega pixel), o que quer dizer 2240 px x 1680 px, e em tamanho de arquivo aproximadamente 2 MB.  Na prática isso tornaria sua loja muito, muito lenta. Imagine que você tem 20 produtos na vitrine, então para carregar a página inicial ou uma página interna da loja o usuário teria que carregar 40 MB em imagens!  Inviável. Por isso é necessário redimensionar as imagens para serem utilizadas na loja para um tamanho muito menor.

Então imagens para e-commerce não são gigantes, normalmente elas não pesam mais que 200 kb. Recomendamos que tenham pelo menos 600×600 pixels e não mais que 1200 x 1200 pixels.

O nome das imagens deverá ser sempre em letras minúsculas, ter o mesmo nome do produto, sem espaços (no lugar dos espaços utilize “-”) e não utilize caracteres como “á”, “é”, ó, ã, õ, ê, í, %, &, $, /, \, #, @, º, enfim não utilize nenhum caracter especial de forma alguma.

Utilize sempre que possível imagens compactadas, PNG de 8 bits, JPG com compactação e carregamento progressivo. Isso é importante para SEO também.

Existe um novo formato de imagem (não é tão novo, mas está se popularizando agora) que se chama WebP.  Esse formato é proprietário do Google, e é aceito em 70% dos dispositivos, exceto em iphones e ipads. Provavelmente esse formato será o padrão no futuro, por sua taxa de compactação e qualidade, porém só deverá ser utilizado quando a Apple resolver implementar o suporte do mesmo no Safari.

Recomendo que organize suas imagens antes de começar o cadastramento dos produtos. Por exemplo:

  • nome-do-meu-produto-ref-12345-1.jpg
  • nome-do-meu-produto-ref-12345-2.jpg
  • nome-do-meu-produto-ref-22345-1.jpg
  • nome-do-meu-produto-ref-33345-1.jpg

Salve todas as imagens em uma pasta, fazendo isso antes você cadastra-rá seus produtos de forma muito mais efetiva e rápida.

Outra observação muito válida. Utilize sempre um único tamanho medida em pixels) para suas imagens. Defina um padrão e sempre utilize este padrão. Isso permitirá que você tenha uma vitrine organizada e agradável.

Exemplificando: utilize um padrão de 800×800 pixels para todas as suas imagens. Mesmo se sua imagem for uma garrafa que seria uma imagem muito mais alta do que larga. Nas laterais sua imagem ficará com espaço em branco, mas ao redimensionar a imagem não haverá distorção da imagem e todas estando com o mesmo tamanho haverá simetria na vitrine.

Exemplo: embora a garrafa seja alta e não larga, a imagem foi colada dentro de uma imagem quadrada, mantendo a proporção no alinhamento da vitrine.

Na imagem abaixo o tênis é mais largo que a sua altura, mas mesmo assim ele foi colado dentro de uma imagem quadrada.

Você também deve levar em conta futuras integrações, como por exemplo marketplaces. Normalmente marketplaces exibem uma imagem quadrada de no mínimo 600×600 pixels. Então já adotando um padrão agora você estaria economizando muito tempo e retrabalho.

Não se empolgue em cadastrar os produtos de qualquer jeito e depois pense em voltar e arrumar. Não cometa esse erro, dificilmente você irá voltar para arrumar depois. 

Estrutura de produtos

A estrutura de produtos é como os produtos serão apresentados para seus clientes na frente na loja. É por onde seus clientes irão navegar para encontrar os produtos em sua loja virtual.

Pensar bem esta estrutura antes de iniciar o cadastro é importante e evitará um grande retrabalho depois.

Algumas plataformas permitem duas outras permitem até quatro níveis de navegação. A grande maioria das plataformas permite dois níveis. Em nosso exemplo utilizaremos uma plataforma com dois (categoria e sub categoria) e outra com três níveis (seção, categoria e subcategoria). Na maioria dos casos 2 níveis é suficiente para os lojistas.

Então digamos que você esteja montando uma loja virtual de informática: 

Primeiro nível (Monitores, Computadores, Impressoras, Periféricos)

Segundo nível (monitores LED, Monitores LCD, Desktop, Workstations,Notebook, Impressoras laser, impressoras de jato de tinta, multifuncionais, teclados, mouses)

Ficaria algo assim:

  • Monitores:
    • Monitor LCD
    • Monitor LED
  • Computadores:
    • Desktop
    • Workstation
    • Notebooks
  • Impressoras
    • Impressora Laser
    • Impressora Jato de tinta
    • Multifuncionais
  • Periféricos
    • Teclados
    • Mouses

  Com um terceiro nível poderíamos, por exemplo, adicionar mouses com ou sem fio.

Normalmente o primeiro nível ele irá aparecer logo na frente de seu e-commerce em área nobre abaixo do topo, então pense, estude, esboce bem isso antes de começar, a navegação deve ser intuitiva e fácil ao seu cliente.

Dica: se possível tente deixar no máximo de 8 a 10 categorias, para que caiba em apenas uma linha no menu do topo. Esteticamente é mais interessante este formato.

Cuidados com SEO

Um cadastro de produtos bem feito, com algum planejamento e conhecimento prévio de alguns pontos, irá garantir um trabalho mais tranqüilo, organizado, rápido e evitar muito retrabalho futuro.

      Recomendo que leia com calma e atenção todos os tópicos a seguir.

SEO quer dizer Search Engine Optimization, que nada mais é que tornar o a loja virtual bem vista e bem quista pelos sites de busca, principalmente Google e Bing.

Dica:  SEO = Search Engine Optimization

E você estar bem posicionado nos resultados de busca quer dizer divulgação a custo zero. Aposto que você gostou disso, então preste atenção e dê muito valor as recomendações que serão passadas.

Os sites de busca analisam dezenas de fatores para definir o posicionamento de um site ou e-commerce. São muitos pequenos detalhes que fazem a diferença.

O conteúdo do site é um dos principais pontos, e dentro do conteúdo do site se encontram diversos pontos que influenciam. Em relação ao cadastro dos produtos é muito importante considerar:

  • Nome do produto: deve ser o mais próximo possível de como o cliente iria procurar pelo produto nos sites de busca. Se o cliente conhece o produto por TV de 32” Samsung não cadastre o produto como aparelho televisor de 32” Samsung.  Pense como seu cliente pensa. Se coloque no lugar do seu cliente.
  • Repita o nome do produto no nome das imagens do produto, continuando no exemplo acima, tv-de-32-samsung-mod-xxx.jpg. Reparem que não utilizei espaços, não utilizei símbolos como “ (polegada), e tudo letras minúsculas.
  • Repita o nome do produto na descrição do produto. E a descrição deve ser completa, detalhada e evite copiar a descrição exatamente como está em outros sites. Adicione um ou dois parágrafos com um texto próprio. Quanto maior a descrição melhor. Recomendo no mínimo 300 palavras.
  • Utilize na estrutura dos produtos (categorias, subcategorias, seções) nomes que identifiquem claramente e tenham a ver com os produtos cadastrados abaixo.
  • Tente cadastrar mais de uma imagem do produto e também um vídeo do produto. Lembre-se que o sites de busca gostam de conteúdo, quanto mais conteúdo melhor.
  • Se a plataforma permite você editar meta descrição da página de produtos ou das páginas de estrutura de produtos, repita o nome do produto e adicione mais informações importantes sobre o produto. Meta keywords não é mais utilizada pelos sites de busca.
  • URL amigável veja se a plataforma que você está utilizando disponibiliza essa ferramenta. Hoje a maioria das plataformas disponibilizam isso.
  • Algumas plataformas permitem na página de estrutura de produtos (categorias, sub categorias, seções) a adição de textos na página, e isso é com para o SEO.
  • Evite nomes muito longos, recomendo nomes de produtos com no máximo 6 palavras e mínimo 3.
  • Evite renomear produtos e categorias depois de cadastrado e indexados pelos buscadores.

Existem muito mais detalhes de SEO que devem ser observados, mas por hora estes são os que são importantes para o cadastro de produtos.