Redes Sociais

Estar presente nas redes sociais hoje em dia é essencial.  Você pode atuar com postagens periódicas sem investimento em “impulsionamento” ou com investimento, impulsionando a visualização de suas postagens. Isso principalmente no Facebook e Instagram.

O que é importante é montar uma rede de contatos e postar periodicamente seus produtos e também permitir que consumidores que visitem seu site façam o compartilhamento de produtos que eles “curtirem” em suas redes sociais, e isso é muito legal, é propaganda gratuita com indicação o que dá muito resultado.

Então crie contas em Facebook, Instagram, Twitter, Linkedin, Pinterest e faça postagens periodicamente (pelo menos 3x semana). Destaco ainda que em termos de indexação orgânica isso também é avaliado e influência no desempenho da indexação do site. Especialistas em SEO apontam que a presença em redes sociais funciona praticamente como links externos válidos.

Gere conteúdo para gerar credibilidade e uma boa reputação. Não faça apenas postagens de fotos de seus produtos, crie textos, crie conteúdo e gere reputação sobre os produtos.  Participe de grupos, responda perguntas, mostre que você tem domínio sobre o assunto.

# “Hashtags”:  em  algumas redes sociais como Instagram, Pinterest, Twitter suportam hashtags.  Hashtags servem para criar indexação e facilitar buscas dentro das redes sociais. Porém existem limites de uso que devem ser observados: Twitter máximo duas. Instagram de cinco a dez. Pinterest de quatro a vinte.

Campanhas pagas constantes em Facebook e Instagram, melhoraram muito nos últimos anos e os resultados eu diria estão até melhores do que o Google Ads, que sempre foi o melhor divulgador. Avalie fortemente divulgar seus produtos no facebook e ou instagram, o caminho de divulgação é o mesmo já eu o Instagram é do Facebook.

Dica: Algumas plataformas tem nas páginas de produto configurações especiais para permitir um compartilhamento de produtos de forma muito atraente, onde é exposto imagem, descrição, preço e link do produto.

Requisitos para se montar um e-commerce

Obviamente quando se inicia um projeto de empreendedorismo é necessário se ter em mente de forma muito clara que você terá que investir. Quando falamos em investir não falamos apenas em investimento de capital, dinheiro, mas sim também investir em tempo, conhecimento, dedicação.

Não se pode iniciar um negócio e delegar 100% das responsabilidades a terceiros. Certeza que o projeto não vingará. Como já diz o velho ditado popular: o porco só engorda com o olho do dono.

Ciente disso, o que você precisa ter, para iniciar um e-commerce:

  • uma marca, um nome
  • um domínio ou endereço na internet (www.suamarca.com.br)
  • os produtos que você irá vender em sua loja virtual
  • ter acesso a fornecedores dos produtos que você escolheu
  • realizar uma pesquisa de mercado e um planejamento
  • uma plataforma de e-commerce
  • capital de investimento para comprar os produtos, estoques e muito importante divulgação
  • tempo para gerenciar o negócio

O que vender em um e-commerce

Hoje se pode vender praticamente tudo que é legal (dentro da lei) em uma loja virtual.

Muitas pessoas ainda têm muita restrição quanto à comprar alguns produtos pela internet como calçados, por exemplo.

Porém estas mesmas pessoas iriam se surpreender com a quantidade de calçados que se compra e vende pela internet hoje em dia.

Mesmo produtos como perfumes, que são produtos que teoricamente necessitam de sensibilidade impossível até o momento de se transmitir pelo navegador, são muito vendidos pela internet.

Hoje se vende de armas a brinquedos pela internet, até mesmo produtos de grandes volumes como colchões são vendidos sem dificuldades pela internet.

Em 2015 uma pesquisa do e-bit informou que 83% dos bens de valor têm sua definição de compra feita pela internet.

Veja bem, definição da compra, não estou falando da compra em si.

Mais de 80% de tudo que se compra de bens de valor são decididos pela internet, ou seja, uma infinidade de coisas.

Nos primeiros meses de 2020 muito devido a pandemia do COVID-19, com a exigência do isolamento social, viu-se no mundo inteiro um crescimento do comércio eletrônico. Um saldo de crescimento de 20% e uma migração de muitos negócios para o ambiente online.

Devido ao crescimento do e-commerce e a atuação dos marketplaces, eu fortemente recomendo que você busque um nicho de mercado. Não tenha a intenção de vender de tudo, procure um segmento dentro de um mercado existente, se especializar neste segmento. Conheça muito bem o seu produto, saiba as especificações dos produtos e transmita segurança, conhecimento do que você vende. Trabalhar com nichos de mercado é muito mais fácil e barato para quem está começando do que vender de tudo.

Mais tarde abordaremos muito mais este assunto de nichos de mercado e suas vantagens.

No planejamento de e-commerce recomendamos você a analisar seus concorrentes e descobrir oportunidades de mercados e produtos a serem comercializados.

Em relação a migração de muitos negócios para o comércio online no começo de 2020 devido a pandemia, muitos apostam que isso será a nova realidade para as empresas, e concordo com isso, cada vez mais é necessário ser multicanal, oferecer a possibilidade de vendas por vários canais, contudo observo que muitos destes negócios migrados para o e-commerce irão falhar, aliás já estão falhando, e o principal motivo é a falta de planejamento e organização por parte dos empresários. 

O hábito de consumo, os novos consumidores que estão se acostumando e criando gosto por compras online, principalmente pela necessidade de isolamento social imposto, este sim irá permanecer e representa um aumento de 20% no e-commerce.

História do e-commerce

De uma forma efetiva, algo parecido com o que vemos hoje em dia, com compras online pelo navegador de qualquer computador ocorreu nos Estados Unidos, o e-commerce começava a se estruturar por volta de 1995, com o surgimento de futuras gigantes do setor como a Amazon.com.

O Brasil levaria ainda cinco anos para acompanhar a tendência: como a internet só foi liberada comercialmente em 1995 pelo ministério das comunicações, a primeira loja que surgiu no Brasil foi em 1996, era da Brasoftware. Mas era algo muito embrionário, até porque não tínhamos estrutura de meios de pagamento online.  Foi apenas em 1999 que as lojas virtuais começaram a ganhar força por aqui.

Já se passam quase 20 anos e muita, mas muita coisa mudou em termos de estrutura e tecnologia.

Quando comecei a trabalhar com e-commerce em 2000 me recordo muito bem das dificuldades que tínhamos com meios de divulgação, meios de pagamento eram limitadíssimos, antifraudes eram inexistentes, praticamente só existiam dois formatos de divulgação (mail marketing que aquele tempo era um baita de spam) e comparadores de preços que ficaram ricos, principalmente o Buscapé.

O mais complicado era mesmo o enorme receio dos compradores em fazer compras online. Felizmente era um oceano azul, de águas calmas e limpas. Eram pouquíssimas lojas e a margem era muito boa.

Exemplo do site da amazon.com em 2001

Características principais de um e-commerce

Além do que já foi citado anteriormente um e-commerce é um site que deve permitir que o lojista se cadastre, escolha os produtos, faça o cálculo de frete e efetue a escolha do pagamento.

Obviamente em alguns casos o frete poderá ser gratuito e suprimido o seu cálculo assim como o meio de pagamento pode ser apenas selecionado para ser processado pelo lojista posteriormente.

Um e-commerce precisa ter uma administração que permita ao lojista controlar e administrar todas estas informações que estarão devidamente salvas em um banco de dados, para poder controlar e administrar pedidos,
controlar estoques e emitir os mais diversos tipos de relatórios.
Uma característica muito importante hoje em dia é a capacidade de funcionamento tanto em computadores como smartphones, o que chamamos de layout responsivo.

Em resumo um e-commerce deve ter uma administração ou back office completo, ter meios de cadastrar produtos, cadastrar clientes, formas de envio ou entregas (fretes) e meios de pagamento, tudo isso com
segurança dos dados.

O que é um e-commerce

E-commerce, nada mais é que um comércio eletrônico, comprar online, comprar pela internet. É uma evolução do antigo catálogo e televendas.
Um site de e-commerce também conhecido como loja virtual, é um site ou página na internet que permite ao lojista expor seus produtos com preços, estoques e permitir que os consumidores se cadastrem, escolham
os produtos e quantidades, calculem o frete e efetuem o pagamento de suas compras.

Sites que não permitem o cálculo de frete e o pagamento não podem ser considerados uma loja virtual. Existem sites que fazem apenas
orçamentos e existem os sites institucionais que apenas exibem informações sem permitir uma interação real.

Um e-commerce além de permitir escolher os produtos, permite concluir efetivamente a compra totalmente online.

Como iniciar, planejar e gerenciar o seu e-commerce

Primeiramente gostaria de me apresentar, meu nome Hildor Schroder e atuo com e-commerce desde 2001, sou formado em administração de
empresas e pós graduado em marketing digital.

Por 7 anos foi lojista, ou seja, vendia produtos pela internet. Eu vendi minha loja virtual e a convite de uma empresa de plataforma de e-commerce
me tornei sócio de uma das plataformas de e-commerce mais conceituadas e respeitadas do Brasil.

Desde 2006 atuo como diretor comercial da Loja Mestre Lojas Virtuais e na consultoria de e-commerce.
Devido a minha larga experiência no assunto recebi o convite de uma agência de marketing digital para montar este curso de e-commerce.

E é uma grande satisfação poder compartilhar um pouco de nosso conhecimento com os novos empreendedores digitais.
O objetivo deste curso é explicar o que é um e-commerce, como funciona, requisitos e trazer informações essenciais sobre tudo que cerca um e-commerce, para quem quer iniciar neste segmento.


No final do curso você terá informações suficientes e plenas condições para iniciar o seu e-commerce com segurança e principalmente com informações para se chegar a um bom desempenho.
Iremos abordar neste curso de e-commerce pontos como escolha da melhor plataforma de e-commerce, desde as pagas até as plataformas open
source (gratuitas), cadastro de produtos, SEO, meios de envio, meios de pagamento, aparência e muitas dicas de divulgação.

Além disso, lhe mostraremos como montar um planejamento estratégico básico para você montar o seu e-commerce, o que considero ser a principal falha dos novos empreendedores, ou melhor, a falta de
planejamento minimamente consistente e atendo as necessidades reais do mercado virtual.

Quando afirmamos que se trata de um curso completo de e-commerce o fazemos sem qualquer propósito comercial para vender mais. É um afirmação real, o curso é composto de todos os pontos chaves essenciais
de conhecimento para um lojista virtual obter sucesso com sua loja virtual.