Tecnologia necessária (infra-estrutura necessária)

Para se montar uma loja virtual antes de mais nada é necessário ter o domínio que será utilizado para a loja virtual. Domínio é o seu endereço na internet, por exemplo: suaempresa.com.br.  

Um esclarecimento que faço, www é um subdomínio. Um domínio pode ter uma infinidade de subdomínios, por exemplo blog, loja, shop, etc… quando você for registrar um domínio, não informe o www antes.

Este domínio pode ser registrado tanto por pessoa física como pessoa jurídica. Recomendo por questões de credibilidade que o domínio seja terminado em .com.br, e para registrar um domínio o faça em www.registro.br , custa em torno de R$ 40,00 por ano.

Se o domínio que você desejar já estiver registrado na terminação com.br, você pode procurar registrar domínios com finais .com, .net, até .shop existe. Eu não recomendo muito, conforme já explicado acima a terminação .com.br é mais conhecida dos consumidores brasileiros. Para registrar dominios com outros finais, sugiro o http://domains.google , os custos variam conforme a terminação.

Dica: Não aceite que a empresa onde você for contratar sua plataforma registre o domínio para você. Registre você mesmo.

Dica: Evite nomes longos, evite nomes em língua estrangeira de difícil digitação e até mesmo fixação.

O segundo ponto é a hospedagem. Para uma loja virtual profissional a hospedagem deve ser profissional e não pense em economizar muito, existem hospedagens a partir de R$ 3,00 por mês, contudo, estas eu lhe garanto, não são profissionais. Em relação a hospedagem ela será necessária apenas se você optar por um sistema open source e normalmente estes sistemas open source, são em linguagem PHP, logo é necessário uma hospedagem linux. 

Existem empresas sérias como Locaweb, HostGator, Godaddy que oferecem boas hospedagens compartilhadas com mensalidades a partir de R$ 20,00 / mês. Menos que isso desconfie.

Opcionalmente se você busca algo um pouco mais seguro e flexível, você pode optar por uma hospedagem em cloud. Os preços de clouds confiáveis começam em torno de R$ 70,00  por mês. Aqui faço uma ressalva em relação ao tráfego, pois se você possuir muito tráfego soluções clouds podem ser extremamente caras. 

Normalmente as hospedagens já lhe garantem os serviços de e-mail @seudominio. Se você optar por uma plataforma de e-commerce, muito provavelmente eles já lhe forneceram uma hospedagem básica no plano, com direito a contas de e-mail.

É necessário backup diário, pelo menos dos últimos 7 (sete) dias. Verifique com a empresa de hospedagem se eles têm isso ativado e se é no mesmo servidor ou backup externo. Se possível contrate um backup externo. Esse é um ponto que não é levado a sério por muitos lojistas e até mesmo empresas de e-commerce. Já vi vários casos de lojistas que ficaram mais de 2 dias sem suas lojas virtuais porque a empresa não tinha um backup eficiente e plano de contingência. E aqui não basta montar o backup, é necessário testar esse backup periodicamente.

Plataformas sérias possuem tanto, backup diário, como servidores de backup e planos de contingência. Na empresa onde atuo, temos backup diário, local e remoto (em outro data center inclusive), servidor de backup e plano de contingência de 8 horas.

Outro detalhe que só quem conhece na prática o mercado: profissionais qualificados. É algo muito comum em agências digitais, elas serem 100% dependentes de terceiros para assuntos mais técnicos como configurações de servidores e recuperação de backup. E isso torna a resolução de problemas muito mais demorada. Um terceiro não irá ter nenhuma preocupação com a recuperação ágil e precisa de um servidor e arquivos.

Portanto questione à empresa que você irá contratar se os servidores são dedicados ou exclusivos e se existe dentro da equipe própria da empresa pessoas realmente capacitadas na administração de servidores e ou se a configuração e administração dos servidores é 100% própria.

Certificado SSL, é o tal cadeadinho de segurança que aparece nos navegadores. Isso é essencial hoje em dia, inserir dados e até mesmo fazer login em páginas sem SSL é um risco que os próprios navegadores já alertam. Então é necessário ter o certificado SSL. Existem soluções de certificados gratuitos e certificados que custam até 2.000 dólares por ano.

Para quem está começando um certificado básico SSL de 256 bits atende as necessidades perfeitamente.

Dica: não é necessário investir em um certificado EV ou outro muito caro.

Suporte ao sistema de e-commerce. É essencial, pois o mercado é dinâmico e as soluções presentes no mercado tendem a acompanhar o mercado e isso quer dizer mudanças, melhorias, novos recursos.

É comum, meios de pagamento e meios de envio, mudarem seus códigos de integração e exigirem atualizações nas integrações com as plataformas de e-commerce.

Então é necessário volta e meia atualizar o código de programação do sistema para estar atualizado com o mercado.

Citei meios de pagamento e meios de envio, por que estes são essenciais ao pleno funcionamento do sistema, porém, poderia citar outros exemplos como a adição do nono dígito dos telefones, ou a mudança que está por vir do DNI que poderá substituir o CPF e RG.

Outro exemplo que está exigindo adequações nos sistemas de e-commerce é a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados). Os sistemas todos, não só a loja virtual, mas também meios de pagamentos e sistemas externos integrados a loja virtual que consomem dados da loja virtual tem a obrigação de se adequar.

Demais integrações com sistemas de emissão de NF-e, emissão de etiquetas, integração com sistemas de marketing e estatísticas de acesso.

É extremamente necessário possuir suporte ou garantia de evolução da plataforma. Considero um risco muito grande ficar preso a um sistema de e-commerce, sem garantia de evolução.

Tipos de remuneração de plataformas de e-commerce

Em plataformas de e-commerce pagas existem várias modalidades de remuneração. A mais comum é a locação com pagamento de mensalidades. Porém existem outros meios que iremos listar:

1.    Mensalidade fixa

2.    Mensalidade mais cobrança por tráfego (pageviews, visitas)

3.    Mensalidade mais comissão sobre vendas

4.    Comissão sobre vendas

5.    Comissão ou mensalidade depende do valor mensal

Utilizaremos como exemplo a Loja Mestre que adota política de mensalidades fixas (sem tráfego) e a VTex que tem mensalidade e comissão sobre vendas. Assim temos como abordar duas formas de trabalho e você opta pela qual melhor lhe atender.

Prós:

Mensalidade fixa: sem surpresas, sem pegadinhas você sabe quanto vai pagar todo mês, independente da quantidade de vendas e acessos que você terá.

Comissão sobre vendas: sem custo fixo mensal na loja, você só paga se vender, o dinheiro não sai do seu bolso.

 Mensalidade + comissão sobre vendas:  não vejo prós nenhum. 

Contras:

Mensalidade fixa: mesmo se não vender nada terá que pagar a mensalidade da plataforma.

Comissão sobre vendas: se você tiver um alto valor de vendas o percentual pago a plataforma pode ser maior que seria o valor se fosse mensalidade fixa.

Mensalidade + Comissão sobre vendas:  só é bom para a plataforma. Se você não vender eles tem o custo fixo deles, se você vender tem um sócio para dividir o lucro. 
      Existem vários outros formatos, inclusive mistos, um muito comum é  mensalidade mais o tráfego. A nossa dica neste ponto é ficar muito atento aos detalhes dos custos mensais com a plataforma.

Alugar vs. comprar vs. desenvolver vs. open source

Alugar, comprar, desenvolver do zero ou utilizar um open source? A resposta vai depender do lojista. Não existe uma resposta que possa servir para todas as situações. Vai depender do lojista, de suas necessidades e de seus conhecimentos, de seu projeto.

Hoje todas as grandes lojas, os líderes de mercado utilizam sistemas de desenvolvimento próprio e possuem equipes próprias T.I., exemplificando: americanas.com.br, pontofrio.com.br, casasbahia.com.br, magazineluiza.com.br, saraiva.com.br, amazon.com.br, fastshop.com.br, ricardoeletro.com.br, etc…  

As lojas medianas em sua grande maioria utilizam plataformas locadas. Lojas muito pequenas e sem manutenção constante geralmente são baseadas em plataformas abertas (open source).

Isso seria um resumo muito por cima do cenário atual do mercado. Existem exceções obviamente. Mas como o objetivo é lhe apontar a uma direção confiável e sem maiores dificuldades não iremos entrar tanto em detalhes, mas apresentaremos alguns pontos que devem ser avaliados para a tomada de decisão:

  1. Todo sistema de e-commerce exige uma hospedagem profissional, qualificada e com backup diário.
  2. Todo sistema de e-commerce exige manutenção e atualização constante em formas de pagamento, formas de envio mudam constantemente e sem atualização seu e-commerce irá parar de operar.
  3. O mercado é dinâmico, grandes players de mercado como Google, requerem ajustes no sistema de forma constante, caso contrário seu site perde indexação.

Acima dois fatos que não podem ser ignorados de forma alguma. Uma loja virtual que não funciona não serve de nada.

Se você for mandar desenvolver uma loja virtual do zero, tenha em mente um investimento aproximado de no mínimo 10 mil reais. Provavelmente o desenvolvedor por esse valor irá reaproveitar algum código e fazer pequenas adaptações.

Se você tiver necessidades específicas, algo mais comum em cenários de atacado ou revendas pode ter certeza que o preço sobe consideravelmente. Quanto mais detalhado e diferenciado o projeto, mais caro será. Já vi desenvolvedores cobrarem acima de R$ 50 mil para desenvolverem uma loja virtual com alguns recursos diferenciados.

Eu recomendaria o desenvolvimento próprio somente se você possui necessidades muito específicas e tem condição de investir alto no projeto e principalmente se seu planejamento de negócios está muito bem feito. Afirmo isso para você não fazer um grande investimento em algo que pode não ter futuro.

Sistemas gratuitos ou open source, como Magento, OpenCart, Wowcommerce. São alternativas viáveis apenas se você tem um colaborador ou você mesmo detém de muito conhecimento técnico ou é um aficionado por tecnologia e tem tempo para aprender. Você precisará contratar uma boa hospedagem por conta, contratar e instalar certificado SSL por conta, gerenciar atualizações do sistema, instalar plugin´s ou pacotes para meios de pagamento, meios de envio.

Estes sistemas são internacionais, então você precisa “nacionalizar” o sistema com idioma, meios de pagamentos nacionais, meios de envio nacionais, etc.

Para um usuário comum sem muito conhecimento é muito complicado, não impossível, mas bem complicado. Algumas empresas de hospedagem até prestam um serviço de pré configuração da loja, porém é só um setup inicial, sem suporte posterior.

Para finalizar o suporte (nos sistemas open source) é de comunidade, ou seja, em fóruns, então eu diria que o suporte é na base da sorte.

Normalmente as lojas virtuais baseadas em sistemas open source, são lojas menores. Não existem muitas lojas de médio e grande porte baseadas em open source, muito ao devido ao suporte e necessidades de recursos adicionais nacionais onde não existem módulos gratuitos para as plataformas.

Muitas formas de pagamento nacionais até fornecem módulos de integração com sistema open source, contudo a grande quantidade de versões e a complexidade de instalação dos módulos para usuários leigos ainda é um grande problema.

Em relação ao comprar um sistema pronto, é praticamente o mesmo cenário de mandar desenvolver um sistema. Existem soluções, mas o preço muitas vezes é proibitivo. Ainda mais se você considerar que terá que ter um suporte e garantia de evolução do sistema para não perder o investimento já realizado.

Em comprar um sistema pronto você perde a principal vantagem do desenvolvimento sob-demanda que é a personalização, ou melhor, a customização do sistema ao seu gosto e necessidade.

Normalmente os contratos de desenvolvimento de sistema, incluem cláusulas de suporte ao sistema por um período de 3 a 6 meses, porque sempre tem ajustes e melhorias que mesmo com uma análise prévia muito bem feita, requerem alterações e ajustes. Isso é muito comum, na prática as necessidades são diferentes do que o imaginado pelo analista.

Como já citei anteriormente é essencial que o sistema tem atualização constante. Isso é crítico para continuidade do projeto. Portanto mesmo que desenvolvido do zero ou contratado um sistema pronto é imprescindível contar com um suporte permanente ao sistema, e isso irá representar um custo mensal.

Se for analisar o custo de manutenção ou suporte você irá perceber que em muitos casos o melhor cenário é partir para a locação do sistema de e-commerce.

Na locação normalmente está incluso, hospedagem, suporte e licença de uso do sistema.

Você irá encontrar no mercado ofertas de R$ 19,90 (tome cuidado) até R$ 10.000,00 por mês.

Sistemas profissionais e qualificados para lojas pequenas e básicas irão ficar entre R$ 80,00 e R$ 200,00.

Lojas virtuais com mensalidades inferiores a R$ 50,00 desconfie, pelo simples fato de que o custo de prestar suporte, custo de hospedagem profissional consomem praticamente este valor dando uma margem muito baixa para o provedor da plataforma. E já dizia aquele velho ditado: quando a esmola é demais o santo desconfia.

Muitas empresas de hospedagem oferecem planos de loja virtual, que é a hospedagem mais a loja virtual instalada de forma básica, podemos citar UOL, Terra e Locaweb. Fique atento, isso muitas vezes é um engodo e não possui suporte qualificado para a loja virtual, além dos sistemas serem muito básicos e terem limitações de recursos.

Outro ponto, muitas agências digitais (agências de marketing digital) oferecem o serviço de loja virtual, porém utilizam plataformas open source. Em alguns casos as agências até são profissionais, porém a maioria é totalmente amadora.

Procure contratar uma empresa especializada em e-commerce, que tenha plataforma própria de e-commerce, isso lhe dará garantia de ter um suporte e evolução na plataforma.

Neste curso iremos abordar duas plataformas pagas Loja Mestre (mensalidades fixas),  VTex (mensalidade fixa mais comissão sobre as vendas) e duas plataformas opens source: Magento e WOWCommerce. No próximo tópico falaremos sobre os tipos de remuneração.

Independente da plataforma que você for escolher, os ensinamentos deste curso poderão ser aplicados em qualquer plataforma. Você é livre para escolher a melhor plataforma de e-commerce para você, que atenda a suas necessidades.

Dica: sempre fique atento a letras miúdas e asteriscos nos planos e valores das plataformas. Existem muitas pegadinhas, relacionadas à tráfego, banda, limitação de vendas …

Não confundir e-commerce com marketplace

Uma tendência dos últimos anos e que ainda persiste em 2020, são os marketplaces, e infelizmente muitos confundem loja virtual com marketplace.

Loja Virtual ou e-commerce é um sistema que permite que um lojista cadastre os seus produtos e realize as vendas. Marketplace é um sistema que permite que muitos lojistas cadastrem seus produtos e realizem as vendas.

No marketplace os vendedores pagam uma comissão sobre as vendas ao marketplace, essa comissão varia entre 15% e 22%. Obviamente o benefício do marketplace é que ele é responsável pela divulgação, que sem dúvida é algo muito importante. Muitas pessoas fazem essa confusão, e até acham que montar um marketplace é uma boa ideia. Porém afirmo sem sombras de dúvida que um marketplace dá muito mais trabalho do que um e-commerce. Basta levar em consideração que você será responsável (inclusive legalmente) por vendas de terceiros e atendimento aos clientes por produtos e entregas que fogem totalmente de seu controle.

Principais sistemas e plataformas

Primeiramente explicando o que é uma plataforma de e-commerce. Plataforma de e-commerce nada mais é que a solução de loja virtual profissional, que inclui hospedagem, o próprio sistema da loja virtual, administração do sistema e o devido suporte ao sistema.

Atualmente existem dezenas de opções de plataformas de e-commerce no mercado. Existem opções para todos os gostos e bolsos.

Aqui é importante já pontuar que um e-commerce não é uma plataforma. A plataforma inclui suporte e hospedagem, enquanto um sistema por si só não é uma plataforma. Muitos confundem isso e chamam todo e qualquer sistema de e-commerce de plataforma.

Por exemplo: magento, wowcommerce, são exemplos de sistemas de e-commerces apenas, pois são sistemas gratuitos que não possuem por si só a solução de hospedagem e suporte nativamente.

Normalmente plataformas de e-commerce são pagas, algumas por comissionamento outras por mensalidades, outras até mesmo são vendidas. Existem muitas soluções. Um tópico a frente irá abordar mais sobre essa questão.

Neste momento vamos apenas nos concentrar que existem várias soluções disponíveis no mercado, e neste curso iremos abordar nos exemplos uma plataforma paga e uma open source.

Como se trata de um curso profissional, voltado para quem realmente quer ter uma loja virtual profissional, iremos sugerir o uso o uso de uma plataforma paga, justificaremos adiante esta escolha.

Dentre plataformas boas, sérias e pagas eu poderia citar pelo menos 10 plataformas:

  • Loja Mestre
  • VTex
  • 2Shop
  • Tray
  • FastCommerce
  • Sis Ecommerce
  • Ezcommerce
  • Linkx
  • Doca
  • Loja Integrada
  • NuvemShop
  • DotStore
  • ShopiFy

Atualizei essa lista em maio de 2020. Houveram muitas mudanças no mercado.

Mas existem muito mais plataformas, existem inclusive as de baixa qualidade e de problemas de suporte graves, por isso antes de contratar qualquer plataforma sempre pesquise a reputação da empresa fornecedora em sites como www.reclameaqui.com.br. Se a empresa tem muitas reclamações, principalmente relacionadas ao suporte, tome cuidado.

Dentre os sistemas open source de e-commerce, podemos citar Magento, PrestaShop, Open Cart, wowcommerce.

Estes são sistemas apenas, não incluem suporte e hospedagem, logo é uma preocupação a mais ao lojista. Novamente abordaremos isso mais adiante.