Cuidados com fraude

Já citamos acima que existem fraudes tanto com cartões como com boleto e depósito. A regra básica para boleto bancários e depósito é: somente despache ou entregue a mercadoria quando o dinheiro estiver liberado na conta. Não confie em comprovantes enviados por e-mail, ou outro formato. Os golpistas sempre têm muita lábia e tentarão a todo custo lhe convencer a enviar a mercadoria. Fique atento.

Em relação a cartões de crédito, se for operar diretamente com adquirentes é obrigatório trabalhar com algum sistema antifraude. Os melhores e mais conhecidos são F-control, ClearSale e Konduto. Normalmente eles cobram algo em torno de R$ 0,50 por consulta, (Clear Sale, mudou o formato no final de 2019 e cobra por % de venda) e através dos dados da compra fazem um cruzamento de informações onde apontam uma nota de risco (risk scoring). Que você poderá analisar se a venda é de baixo, médio ou alto risco.

Exemplificando: 

Um cliente que normalmente faz compras online, fez uma compra. Muito provavelmente as empresas citadas acima já têm o cadastro dele. Se os dados como e-mail, telefone, endereço, CEP, CPF, que ele informou na compra ou cadastro na sua loja virtual estiverem batendo com os dados que eles já têm no banco de dados. A compra será de baixo risco. Porém se somente o nome e CPF baterem e o restante dos dados for diferente, principalmente de outra cidade. A avaliação será de alto risco. Pois provavelmente alguém está com o cartão do cliente fazendo compras para serem entregues em outro endereço.

Estes sistemas antifraude têm um banco de dados muito grande, então eles irão com certeza auxiliá-lo a prevenir fraudes, mas não irão evitar 100% das fraudes.

Se você trabalha com produtos de muito valor como jóias, a ClearSale tem um serviço de venda garantida, que você apertando um botão eles vão analisar a venda manualmente e darão uma aprovação de sim ou não.

Se você optar pela compra garantida e for golpe eles lhe reembolsarão. Obviamente o serviço é cobrado, se não me engano 1% sobre o valor da venda.

Quando você opera com intermediários este serviço de antifraude já está incluso, inclusive com a análise e aprovação deles.

Se houver chargeback o problema é do intermediário e não mais seu. A diferença é que existe um prazo de disputa, onde o comprador pode abrir uma reclamação e alegar que o produto não é o que ele comprou, que veio com defeito, ou não veio, e assim pode cancelar o pagamento. Mas o prazo de disputa normalmente é de 30 dias.

Uma vez que o intermediário sinalizou a venda como aprovada, o risco de chargeback é inteiramente dele.

Descredenciamento por fraudes: se sua loja virtual for muito visada por golpistas e tiver um grande número de tentativas de fraude é comum o meio de pagamento lhe dar um alerta e se o problema persistir você ser desfiliado e não poder mais utilizar o meio de pagamento. Isso ocorre mais do que se imagina.

As melhores plataformas de e-commerce possuem algumas travas de segurança para evitar este tipo de problemas. Sistemas inteligentes realizam comparações nas últimas vendas e cadastros a fim de identificar fraudes em seqüência, mesmo fraudes que utilizam robôs e vários IP´s de origem distinta.

Dica: este é um dos motivos que recomendamos fortemente o uso de um sistema profissional de e-commerce, que realmente tenha suporte eficiente e ágil. Em nenhuma plataforma open source você irá encontrar soluções como as descritas acima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *